We can see the fragil web that connects us to all living things, and understand that the future of all life lies in our hands

A BBC já nos habituou a uma qualidade fora do normal no que concerne a documentários acerca da vida animal (Como o Planet Earth, por exemplo) e, neste caso, volta a oferecer-nos uma pequena maravilha que nos apresenta, de uma forma única, um dia de vida no planeta mais habitado (até prova em contrário!) do sistema solar. É-nos recordado que vivemos num sítio único, que articula a mágica dança entre o dia e a noite, para nos entregar, sem esperar nada em troca, aquilo que de melhor tem.

A nossa viagem, guiada pela voz de Robert Redford, inicia aos olhos de um pequeno panda, que, muito atrapalhadamente, trepa até uma árvore logo pela manhã, enquanto outros seres – mantas, pinguins, suricatas, zebras, antílopes e muitos mais – congratulam, uma vez mais, o novo dia. Rapidamente somos transportados para outras dimensões da vida nesta maravilhosa esfera azulada, percorrendo os mais diversos cenários, desde a savana africana ao norte extremo do Ártico, para que nos apercebamos da plenitude e imensidão da natureza da qual fazemos parte e que deveríamos contribuir para manter. A uma dada altura dei por mim aos gritos desenfreados para que uma iguana escapasse de uma cobra, ou a ficar fascinada com a dança sensual dos ursos norte americanos contra as árvores. O detalhe dos ruídos e da imagem são absolutamente encantadores e vai-vos transportar para uma dimensão única.

E é justamente este ponto que vos quero recordar. A Terra não precisa de nós. Mas nós, humanos, precisamos dela. Ao não protegermos o ambiente e ao contribuir para a sua cada vez mais rápida degeneração, não estamos a colocar a Terra em risco, mas as formas de vida que dela dependem, ou seja, estamos a colocar em risco a nossa vida. Estamos a descartar a possibilidade de ver, dia após dia, todo e cada detalhe fascinante que a nossa realidade nos pode oferecer. A impedir que milhões de seres possam continuar a ter uma vida feliz, nas suas rotinas, desafios, alegrias e perigos.

Não quero viver num mundo sem estes animais. Sem estas paisagens. Sem estas luzes.

Por favor. Mudemos juntos. Por ela. Por nós.