Dias estranhos estes últimos… Quem diria que passaríamos tanto tempo confinados em casa por culpa de uma ameaça invisível. Parece cenário saído de um qualquer livro ou filme de ficção científica! Muitos de nós – como é o meu caso – conseguirão lidar muito bem com o confinamento e o distanciamento social, mas para outros o cenário poderá não ser tão animador. A todos os que lerem estas palavras, seja em que altura for, segue daqui um abracinho de conforto. Acredito que damos sempre o nosso melhor a qualquer altura da nossa vida. Viver não é uma competição. Viver não é ter uma vida perfeita exposta a olhos alheios. Viver é tropeçar, rir, chorar, ser feliz e infeliz, darmos o nosso melhor quando podemos e baixar os braços quando estamos exaustos, porque também temos esse direito. É uma montanha-russa de tudo, com uma pitadinha de mais alguma coisa.

Mas vamos ao que realmente interessa. Depois de uma sondagem no Instagram apercebi-me que havia algum interesse em partilhar mais uma das receitas caseiras que vou fazendo para uso diário. Uma vez que o isolamento profilático é propício a diminuir as visitas ao supermercado, resolver da lista de compras um item que recebe tanto destaque e tanto uso no nosso dia-a-dia só pode ser uma mais-valia.

Desde janeiro que ando a testar dentífricos. Formulei um em pasta, que ficará para outro dia, e outro em pó, que conquistou o meu coração e os meus dentinhos.

Receitas caseiras de dentífricos, assim como de desodorizantes não faltam pela internet, mas, na minha humilde e empírica opinião pecam ambos pelo mesmo problema: o abuso do bicarbonato de sódio. De facto, este é um excelente produto de limpeza, seguro para a nossa saúde e para o ambiente, mas é muito abrasivo e o seu poder de limpeza é um tanto ou quanto irritante, por isso, se o pudermos incluir nas nossas receitas, mas com moderação, tanto melhor.

[Atenção: eu não sou médica, as minhas partilhas são baseadas na minha investigação pessoal sobre os assuntos em causa, bem como na minha experiência, e podem carecer de rigor científico]

O meu pó dentífrico de eleição é o seguinte:

Ingredientes:

– 4 colheres de sopa de argila bentonita (não pode ser manuseada com metal)

– 3 colheres de sopa de carbonato de cálcio

– 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio (opcional)

– 1 colher de sopa de canela em pó

– 1 colher de sopa de xilitol

– 20 gotas de óleo essencial de menta

– 5 gotas de óleo essencial de cravinho (ou 1 colher de chá de cravinho moído)

 

Procedimento:

– Desinfetar os utensílios a usar com um papel/pano embebido em álcool.

– Misturar todos os ingredientes secos muito bem com utensílios que não sejam de metal, uma vez que pode diminuir ou alterar as propriedades da argila. Podem usar plástico, cerâmica, madeira, … Se necessário, peneirar para eliminar todos os grumos.

– Acrescentar os óleos essenciais e voltar a misturar.

– Armazenar num frasquinho com espaço para colocar a escova de dentes dentro, ou então com pouca altura.

 

Et voilà! Pronto!

 

Para usar, basta humedecer a escova de dentes e tocar no pó. Este agarrar-se-á às cerdas, sobretudo por causa das propriedades da argila, que explico em baixo.

 

Argila bentonita

A argila bentonita tem capacidade de gelificação e é o principal componente que vai permitir que o pó adira facilmente à humidade da escova. Como é evidente, esta não é a principal razão da sua eleição. A bentonita contém minerais em abundância que permitem a remineralização dos dentes, bem como capacidade de eliminar metais pesados, toxinas e bactérias. Elimina as manchas de forma pouco abrasiva e é alcalina, reduzindo a acidez da boca.

 

Carbonato de cálcio

O carbonato de cálcio não só providencia cálcio extra à nossa fórmula, como também se trata de um abrasivo suave que ajuda a remover a placa e limpa gentilmente a superfície dos dentes, tal como a bentonita.

 

Bicarbonato de sódio

É excelente como neutralizador de ácidos que desgastam o esmalte, bem como abrasivo, para limpar e remover manchas da superfície dos dentes. Contudo, deve ser usado com cuidado e em quantidades reduzidas, uma vez que pode ter uma ação de desgaste.

 

Canela em pó

Há estudos que comprovam a sua capacidade de combater bactérias, cáries, manutenção das gengivas, mau hálito e outras infecções orais. O cinamaldeído, um dos seus ingredientes ativos, é um poderoso antifúngico e possui propriedades antibacterianas que naturalmente ajudam a combater as bactérias associadas ao mau hálito e a problemas nas gengivas.

Xilitol

De acordo com alguns estudos, o xilitol é capaz de combater as bactérias que provocam cáries nos dentes e danos no esmalte. Isto deve-se ao facto de este ingrediente ser um açúcar alcoólico que as bactérias cariogénicas não conseguem processar, levando à interrupção do seu ciclo de consumo e tornando-se significativo no combate da ação dessas bactérias.

 

Óleo essencial de menta (ou hortelã comum)

Para além do seu aroma refrescante e intenso, facilmente associado a produtos de limpeza dos dentes, este óleo essencial é antissético. Ajuda a combater infeções das gengivas e o mau hálito.

 

Cravinho/ óleo essencial de cravinho

Historicamente o cravinho tem vindo a ser utilizado para combater dores de dentes e infeções orais. Tem propriedades antimicrobianas e antifúngicas. Para além disso, o eugenol, o seu principal princípio ativo, é também anestésico.

 

Dica: Os dois óleos essenciais indicados, assim como o cravinho inteiro, diluídos em água, podem ser usados como desinfectante bucal.

A receita é simples, o mais complicado talvez seja encontrar os ingredientes. Algumas lojas, com representação online, como o Ervanário Portuense, o Celeiro, a Plena Natura, a Gran Velada, a Cosmética Natural Casera Shop, o Planeta Huerto, a Aroma-zone, entre outros, têm estes ingredientes. Se houver algum que não consigam encontrar, contactem-me e tentarei ajudar-vos.

Se experimentarem, já sabem, contem como foi a experiência! Espero conseguir trazer-vos mais DIY úteis e que possam tornar a vossa vida mais leve.