A zona das axilas está repleta de gânglios linfáticos, que são essenciais para filtrar as toxinas, são também uma região propensa a alojar bactérias e tem um microbioma muito particular de pessoa para pessoa. São uma região de saída e de entrada privilegiada do nosso organismo, daí que devamos ser conscientes acerca dos produtos que lhe colocamos.

O desodorizante é um produto que faz parte da rotina da maioria dos seres humanos adultos: libertamos odores desagradáveis, é desconfortável para nós e para quem está ao nosso redor e precisamos de uma forma de o controlar.
Na verdade, não é o nosso suor que produz cheiro, mas sim um certo tipo de bactérias que fazem parte do microbioma da pele. Os desodorizantes convencionais tendem a “atacar” todo o microbioma e a desequilibra-lo, abrindo portas à instalação de outros micróbios indesejados. Alguns destes produtos são antitranspirantes e à base de alumínio, o que também não é muito recomendado para a nossa saúde, já que bloqueia as secreções e pode ter outras implicações menos boas.

[Atenção: eu não sou médica, esta breve introdução é fruto da leitura de artigos e pode carecer de rigor científico]

A receita que tem resultado comigo é a seguinte:

Ingredientes:
– 1 colher de sopa de óleo de coco fracionado
– 1 colher de sopa de manteiga de karité
– ½ colher de sopa de cera de abelha (ou cera de candelila)
– 2+ ½ colheres de sopa de amido de milho (Maizena)
– 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio
– 8 gotas de óleo essencial de gerânio rosa OU pinheiro da escócia (outros óleos essenciais com propriedades antibacterianas também resultarão)
– 3 gotas de óleo essencial de árvore do chá (opcional)
– 1 gota de vitamina E (opcional)
– ½ colher de sopa de óxido de zinco (opcional)

Procedimento:
– Desinfetar todos os utensílios que vamos utilizar com um lenço de papel embebido em álcool, incluindo o frasquinho em que se irá armazenar o desodorizante no final.
– Num recipiente em banho-maria, colocar o óleo de coco, a manteiga de karité e a cera de abelha.
– Quando os ingredientes anteriores estiverem derretidos, retirar do calor e acrescentar o amido e o bicarbonato, mexendo muito bem. Se a mistura engrossar demasiado, impedindo a sua manipulação, pode-se voltar a colocar em banho-maria. No caso de se optar por incluir o óxido de zinco na receita, este deve ser diluído nas gorduras antes de se acrescentar o amido e o bicarbonato.
– Adicionar os óleos essenciais (e a vitamina E, se for caso disso). Depois da adição destes ingredientes, a mistura não pode voltar a ser aquecida.
– Colocar a mistura num recipiente com tampa e deixar arrefecer antes de fechar.

Nota 1: Aconselho o uso de uma mini batedeira para garantir que todos os ingredientes se misturam bem.
Nota 2: Tanto o óxido de zinco como as gotas “extra” de óleo essencial de árvore do chá são uma mais-valia para quem tem uma transpiração muito intensa, ou excelentes adições para uma versão de verão do desodorizante.

Tenho usado, durante o inverno, a versão simplificada da receita (publicada de forma mais analítica no Instagram] e sinto que é eficaz, contudo, todos somos diferentes e o nosso corpo reage de forma diversa aos estímulos, por isso, não há nada como experimentar e ver qual é o resultado!

E porquê que elegi estes ingredientes e não outros? Senti que precisava de uma solução verdadeiramente eficaz, fosse no inverno ou no verão, e a listagem apontada surge em consequência de um conjunto de testes (na minha pessoa e em colegas de trabalho, obrigada, meninas!) que foram ao encontro das necessidades de utilizadores exigentes. Mas para que compreendam o que está por trás desta receita, aqui vai:

Amido de milho
O amido de milho, par além de aumentar o tempo de “vida” do nosso desodorizante, ajuda a absorver o excesso de humidade.
Pode ser substituído por farinha de araruta, mas em termos de custo-efeito, parece-me a opção mais vantajosa, contudo, se houver alguma indicação de reação ou sensibilidade ao amido, a araruta é a opção ideal.

Óleo de coco fracionado
A utilização de óleo de coco fracionado no lugar do óleo de coco comum prende-se apenas com a consistência do mesmo: o primeiro mantém-se sempre líquido. Se apenas têm o óleo de coco comum, poderão usá-lo, mas o resultado pode ser ligeiramente diferente. Em segundo lugar, este óleo tem ligeiras propriedades antibacterianas. Como é uma gordura, ajuda a preservar a pele e a mantê-la protegida.

Manteiga de karité
A manteiga de karité é um excelente ingrediente para a hidratação da pele. Como a formulação inclui bicarbonato de sódio, que pode ser um pouco agressivo, o karité visa, não só compensar essa agressividade, mas também proporcionar a regeneração da pele.

Bicarbonato de sódio
Ajuda a absorver a transpiração e neutraliza os odores. Contrariamente ao que ocorre noutras receitas de desodorizante, em que a quantidade de amido e de bicarbonato são equivalentes, eu optei por colocar menos bicarbonato e acrescentar outros produtos menos agressivos para a pele que compensem a neutralização de odores.

Cera de abelha
O principal motivo que me fez optar pela adição da cera de abelha prende-se com a consistência final da mistura, contudo, este ingrediente é emoliente, calmante e tem propriedades amaciadoras e hidratantes para a pele.

Óleo essencial
Gerânio rosa: é anti-sético e desodorizante.
Pinheiro da escócia: é bactericida, antimicrobiano e desodorizante.
Árvore do chá: é antimicrobiano, anti-sético, bactericida – contudo é sudorífico, isto é, estimula a transpiração, daí que a dose recomendada seja baixa.

Vitamina E
A vitamina E previne que as gorduras fiquem rançosas, ou seja, é um antioxidante. Uma vez que a nossa receita envolve gorduras, a sua utilização ajuda a manter o desodorizante íntegro por mais tempo.

Óxido de zinco
O óxido de zinco é um mineral de cor branca que muitas das vezes é utilizado em formulações de protectores solares. Para além disso, é um produto que ajuda a recuperar a pele de lesões, previne o excesso de humidade, reduz inflamações, é antibacteriano e antifúngico.

Senti-me um pouco reticente em partilhar esta receita porque sei que existem imensas formulações de desodorizante caseiro por aí, muitas delas até apregoam que são infalíveis e a melhor que poderão encontrar. Relativamente a esta minha fórmula, só vos posso garantir que resultou com um par de pessoas. Espero que também resulte com vocês e que não seja só mais uma receita perdida pelo mundo da cosmética caseira.