Os últimos dias têm sido marcados – sem que pare o mundo para ser ouvido – por grandes debates sobre as necessidades ecológicas e respectivas mudanças, que o nosso pequenino planeta tanto nos implora. Vários dos nossos últimos artigos (ecotips, regresso às aulas e seis meses de mudanças) tiveram este foco ecológico que achamos ser necessário e, mais importante, apontam aquilo que podemos chamar de “eco nível” de implementação.

As mudanças podem ter várias origens, partir de decisões e escolhas nossas e pelas quais assumimos a responsabilidade, ou de obrigações legais terceiras implementadas. Hoje o nosso foco reside nas mudanças ecológicas que são de escolha pessoal, já que as outras ainda precisam de muito trabalho até se tornarem significativas.

Esta semana percorreu o meu feed social um vídeo bastante interessante da Better That Yesterday, intitulado “Accomplish Everything With Mini Habits”, que aborda o conceito de pequenas mudanças ou alterações:

Mesmo não sendo as tarefas de exemplo dadas no vídeo de temas diretamente relacionados com ecologia, vamos aqui fazer um exercício de referência.

Quantas das nossas mudanças ecológicas não são de facto um hábito que podemos adquirir? Muitas delas são medidas de substituição e não remoção, tarefas diárias e repetidas que vão sempre acontecer, reforço SEMPRE ACONTECER, mas podem se tornar mais eco conscientes.

Em quantas das mudanças inventamos desculpas para não acontecerem com base, como tão bem explicado no vídeo, numa expectativa demasiado alta que lhes aplicamos? Ser radical ou assumir uma posição de “ou 100% ou nada”, poderá ser o ponto fulcral que nos afasta de um mindset o mais zero waste possível. Neste assunto acho que as opções alimentares são as que mais vezes se aplicam.

Quão fáceis conseguimos tornar as mudanças ecológicas na nossa vida de forma a que seja impossível falharmos em as tornar um hábito? Se a nossa jornada for construída com mini etapas bem pensadas, será muito mais simples tornar uma “forma de pensar” numa “forma de ser”.

Se fosse hábito do ser humano – o grande responsável pela necessidade de mudança, e o principal recipiente das consequências dessa necessidade – ser ecológico, quantas mudanças estariam hoje em dia em debate?

Neste momento, para mim, existe um mini hábito que sei perfeitamente ser necessário, fácil de introduzir e aplicável a este exercício: deixar de utilizar guardanapos de papel, papel de cozinha e lenços para o dia-a-dia. Além de não serem na sua maioria recicláveis, sobretudo devido ao uso que lhes é dado (em caso de dúvida, o Quiz da Lipor ajuda sempre), são muito mal aproveitados e assumem utilização única. Uma opção que possa ser lavada e reutilizada será a provável solução, restando apenas decidir quais os introduzir cá em casa e na vida.

Deste lado, fica estabelecido o compromisso de trocar  estes descartáveis de papel pelos de pano. E daí? Elege um objetivo que te pareça concretizável e junta-te à luta.

Por último fica uma pequena reflexão sobre esta jornada:

“O ímpeto é sempre mais difícil de criar do que de manter”.